domingo, 3 de julho de 2011

Conceito Para Quê?




As novas tecnologias, o mundo globalizado, as informações instantâneas, tudo isto está acarretando uma revolução humana. Todos podem senti-la no dia a dia, em qualquer mídia ou mesmo no convívio interpessoal. Este paradigma pode ser melhor desvendado a partir do momento em que entendemos os conceitos das leis que nos regem, sejam eles na Física, na Biologia ou no Direito, por exemplo, e, a partir de então, construirmos a nossa própria maneira de ver as coisas, de decidir o nosso futuro e o da humanidade. Dizia Einstein: “Tudo deve ser feito tão simples quanto possível; mas não mais simples".
Na Física, os conceitos são primordiais para o entendimento de um fenômeno. Com eles estão as ferramentas básicas – as grandezas. Diz-se que uma grandeza é física quando podemos mensurá-la: a distância em metros, a massa em quilogramas, o tempo em segundos, e assim por diante.
Saber definir uma grandeza, seu conceito, também é importante neste universo em que vivemos. Vou lhes dar um exemplo: Viajo frequentemente daqui do Sul de Minas à capital BH. Em determinado momento da viagem percebo uma placa: velocidade máxima permitida: 80 km. Um absurdo, pois a unidade km é para distância, enquanto velocidade deveria ser km/h.
O que eu quero dizer é que as pessoas estão deixando “o básico do básico”, como se fosse uma coisa simples, como disse Einstein, porém, mais simples ainda! Estão banalizando os conceitos em geral, desde uma simples unidade até mesmo o conceito fundamental que é o de saber viver, o conceito de respeito entre as pessoas, os limites e tudo mais.
Se o ser humano está tendo um bombardeamento de ideias e informações é porque estamos em uma nova era e devemos nos adaptar a ela, com sabedoria e sem preconceitos, mas com criticidade para não cairmos em uma rede de manipulação.
Mude, recicle, conceitue-se.

15 comentários:

  1. Olá Alexander!

    Só hoje percebi que não é Alexandre ... Oops, grande noia, como diria um ex-ministro português.
    Desculpa.

    Gostei muitíssimo de todo o texto, mas essencialmente dos três últimos parágrafos. Aí está, cristalinamente explicada a grande diferença entre estar a par da evolução e crescer com ela, e a banalização dos conceitos mais elementares que nunca devem ser preteridos pois eles são essenciais.

    Parabéns pelo texto. Adorei.

    Beijinho

    ResponderExcluir
  2. Oi Alexander...desejo que tudo esteja bem em em paz com vc...obrigada pela visita...adorei...

    seu texto é muito interessante...vc traça um paralelo entre as leis da fisica e as leis dos homens....basta que quebremos alguns paradigmas...e janelas se abrirão....

    deixo meu carinho...linda tarde de domingo...

    PS:junto dessa pessoa que eu amo....

    Zil

    ResponderExcluir
  3. Olá Alexander
    Acredito que está havendo uma reformulação de conceitos. Alguns são imutáveis, mas a maioria é dinâmica e muda com a mesma velocidades que mudam os valores e o mundo. É importante estarmos atendo, para não nos perdemos nessa emaranhado, e realmente sermos manipulados.
    Grande abraço

    ResponderExcluir
  4. OI Alexander, concordo com a Ná. E acho bacana esse parâmetro que vc tece entre física e a realidade em que vivemos...O mundo anda precisando de re conceitos e não de pré conceitos ou de conceitos prontos... Refletir ajuda bastante....beijos, bom resto de domingo!

    ResponderExcluir
  5. Olá Alexander, primeiro obrigada pelo comentário no blog =)! Olha a banalização dos conceitos mais básicos é realmente assustadora. Além do exemplo que você deu as pessoas perderam a habilidade para escrever, raciocinar, sintetizar e por aí vai. Principalmente a geração google, que não sabe o que é a vida sem o computador.E isso é falta mais elementar que um ser humano pode ter, precisamos dos conceitos para entender o mundo e a vida...abraços

    ResponderExcluir
  6. Alexander, acho que essa pressa da tecnologia e da globalização é que anda me tirando do sério.
    Tudo anda muito rápido, muito leve, sem aprofundamento, e me cansa. Não é fácil me adaptar a essa falta de comprometimento como um todo.Não quero mudar muito, não...
    Entendi perfeitamente sua colocação, mas acho que sou teimosa e não aprovo (quem sou eu?!) tanta mudança no mundo.
    Boa semana!

    ResponderExcluir
  7. "Se o ser humano está tendo um bombardeamento de ideias e informações é porque estamos em uma nova era e devemos nos adaptar a ela, com sabedoria e sem preconceitos, mas com criticidade para não cairmos em uma rede de manipulação."

    Esse seu último parágrafo é perfeito, diz tudo!

    Beijocas

    ResponderExcluir
  8. A lógica é à base de tudo. Precisamos desta lógica para destacar os conceitos dos comportamentos humanos.
    E a evolução tecnológica chega e às vezes não percebemos isso. Falo em papéis, carimbos, assinaturas, já que as coisas já estão quase prontas para a digitalização das marcas dos dedos, assim como exigem os computadores modernos, haja vista que as repartições exigem documentos para tudo.

    ResponderExcluir
  9. Uma graça seu post, meu amor!

    Que bom que despertou para a escrita, sei que ainda vai surpreender muito!!

    Que amar seja simples, mas não mais simples... como um movimento que se renova a cada dia...

    Carinhos e beijos!

    ResponderExcluir
  10. Vivemos num clichê cada vez maior.

    ResponderExcluir
  11. Oi,Alex!Pois é a humanidade parece que está a cada dia mais perdida, são tantas informações, tantas novidade que a gente nem sabe o que fazer com tudo isso.E vamos nos afastando cada vez mais da nossa essência.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Alexander, seu post me levou a uma célebre frase proferida numa aula de equações diferenciais por um sábio professor que tive: "Não vamos complicar o simples, pois o simples já é complicado"
    Um fraterno abraço

    ResponderExcluir
  13. Olá Alexandre!

    Venho da Lívia vi-te lá e lembrei-me que existes ^_^...
    Vamos lá, estou à espera de mais textos, mesmo que não seja o meu forte este tema, não importa, tu ensinas-me. Valeu?

    Beijinho

    ResponderExcluir